Mãe de menino com 4 anos de idade relata que ele sabe diversas capitais do Brasil e do Mundo!





Veja o vídeo de  Cátia conversando com o filho (Clique duas vezes e aumente o volume). 

Conforme Cátia, desde 3 anos de idade, ele sabe ler e já aprendeu várias capitais do Brasil e do mundo! 

Piske, especialista na área de altas habilidades/superdotação, criatividade e afetividade, expressa que ao observar o vídeo, é possível identificar que esta criança tem indicativos de altas habilidades/superdotação (AH/SD). De acordo com Piske, é fundamental contar com o apoio de uma equipe multidisciplinar para a realização de um diagnóstico com precisão.


A partir do vídeo, Piske percebe que esta criança tem inteligência inteligência visual/espacial, entre outras habilidades que devem ser analisadas. A inteligência visual/espacial pode ser explicada por Gardner (1995, 2006, 2007, 2011). Ela pode ser definida pela capacidade de transformar, visualizar, mapear, representar graficamente ideias visuais ou espaciais com a finalidade de orientar-se por meio de uma matriz espacial.

Livros (de preferência com mapas, plantas e croquis), brinquedos coloridos, jogos de encaixes, jogos educativos on line, Ludobot, robótica, Lego, Minecraft, massinhas, materiais em geral que envolvam imagens, linhas, cores, formas, espaços, simetrias, são recomendados por Piske para esta criança. Ao utilizar qualquer material, é necessário haver a companhia de um adulto. Qualquer atividade deve ser proposta a partir do interesse da criança, neste sentido, um adulto deve observá-la com frequência.  

Piske, exemplifica a inteligência visual/espacial e relata que muitos profissionais apresentam esta capacidade de compreender o universo visual, como: geógrafos, cartógrafos, arquitetos, engenheiros, físicos, escultores, jogadores de xadrez,entre outros.

Se você tem alguma pergunta e gostaria de assessoramento, entre em contato por meio do e-mail: giftednessaltashabilidades@gmail.com


*Observação: Cada análise é realizada por meio de diferentes materiais e uma longa conversa. Toda postagem é autorizada pela família. 


Referências

Gardner, H. (1995). Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artmed. p. 12-36.

Gardner, H. (2006). Multiple intelligences: New horizons. New York: Basic Books.

Gardner, H. (2007). Five minds for the future. Boston: Harvard Business School Press.

Gardner, H. (2011). Truth, beauty, and goodness reframed: Educating for the virtues in the era of truthiness and twitter. New York, NY: Basic Books.

Piske, F. H. R. (2014). Criatividade e inovação na educação de superdotados. In F. H. R. Piske et al. (Orgs.), Altas habilidades/Superdotação (AH/SD): Criatividade e emoção [High Abilities/Giftedness: Creativity and Emotion]. Curitiba: Juruá.


Piske, F. H. R. (2016). Alunos com Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD): Como identificá-los? In F. H. R. Piske et al. (Orgs.), Altas habilidades/Superdotação (AH/SD) e Criatividade: Identificação e atendimento [High Abilities/Giftedness and Creativity: Identification and Specialized Service]. Curitiba: Juruá.


Piske, F. H. R. (2018). Altas habilidades/superdotação (AH/SD) e criatividade na escola: o olhar de Vygotsky e de Steiner. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba/PR.




Postar um comentário

0 Comentários