Postagens

Mostrando postagens de fevereiro, 2021

Professores de autistas e superdotados sabem preparar aulas criativas?

Imagem
COMO SÃO AS AULAS CRIATIVAS? O QUE FAZER?   Uma aula criativa requer liberdade de expressão, flexibilidade e materiais que instiguem a curiosidade dos estudantes.   Tanto os estudantes autistas quanto os superdotados gostam de aprender de acordo com os seus interesses, isto quer dizer que se os professores não trabalham com materiais que chamem a atenção desses estudantes e que despertem sua curiosidade e interesse, dificilmente eles irão ficar satisfeitos.   É importante que os professores conheçam as características de cada estudante e saibam como trabalhar com suas necessidades educacionais especiais.   Por exemplo: de modo geral, estudantes autistas gostam muito de rotina, ao passo que superdotados se sentem entediados com a rotina. Há outras questões importantes sobre as especificidades desses estudantes.   Para saber mais sobre autismo e superdotação, clique aqui   Para estudantes autistas e superdotados, os materiais disponíveis e os procedimentos ped

Autistas podem ter leitura precoce e fascínio por letras e números?

Imagem
  Definir e diagnosticar a hiperlexia (Text in Portuguese and in English) Autistas podem ler precocemente?   A definição de hiperlexia pode ser constatada como uma síndrome que abrange uma habilidade extraordinária de leitura precoce e um fascínio grande por letras e números. Contudo, é acompanhada de deficiências em outras áreas do desenvolvimento infantil ( Lamônica et. al, 2013; Brites, & Brites, 2019; The national autistic society, 2021 ).   A aprendizagem quanto à leitura ocorre de forma espontânea e não é ensinada no caso da hiperlexia. Essa síndrome não é consequência de nenhuma metodologia de ensino. Não é necessário que ninguém ensine a criança com hiperlexia a ler ou a aprender números. Sua habilidade de ler não ocorre nem com instruções e nem com o ensino escolar, ela aprende sozinha ( Assouline et al. 2008; Cardoso-Martins, & Silva, 2010; Lamônica et. al, 2013 ).  O que   torna esse fato, motivo de admiração e indagação por parte de muitos profissionais

Autistas e superdotados, como compreendê-los?

Imagem
Autismo e superdotação, conheça mais sobre essas necessidades especiais! (Text in Portuguese and in English)   O autismo é um transtorno, conhecido como transtorno do espectro autista (TEA).  Esse transtorno refere-se a uma ampla gama de condições caracterizadas por desafios com habilidades sociais, dificuldade de interpretação, comportamentos repetitivos, fala e comunicação não verbal. São algumas características que, muitas vezes, impedem a criança autista de interagir e interpretar as pessoas e as coisas ao seu redor (Autismspeaks, 2021). Não existe um único tipo de autismo, mas muitos subtipos. Grande parte influenciados por uma combinação de aspectos genéticos e ambientais. Como o autismo é um transtorno do espectro, cada criança com autismo tem um conjunto distinto de pontos fortes, deficiências e desafios a serem reconhecidos e atendidos ( Rogers, & Dawson, 2014; Brites, & Brites, 2019).   Cada criança autista pode aprender de forma diferente, umas com mais facilidade

Professores podem confundir autistas com superdotados?

Imagem
  Professores estão preparados para atender autistas e superdotados? (Text in Portuguese and in English)   O contexto escolar é repleto de diferentes especificidades e necessidades educacionais que nem sempre são compreendidas pelos professores (Peterson, 2014; Piske, 2018, 2020; Piske & Kane, 2020).   O conjunto de especificidades que os estudantes podem apresentar requer compreensão. A ausência dessa compreensão pode acarretar muitos danos para todos, principalmente para os estudantes que nem sempre recebem o atendimento adequado (Piske & Stoltz, 2020a, 2020b).   Então, muitos professores podem sim confundir autistas com superdotados uma vez que existem crianças com o transtorno do espectro autista com leitura precoce e um fascínio em aprender números, demonstrando um alto potencial ( Assouline et al. 2008).   Há casos que autistas podem apresentar uma síndrome chamada hiperlexia, muitas vezes caracterizada como elemento do autismo, que envolve a capacidad